Lomadee

quarta-feira, 19 de março de 2014

Reencontro de 10 anos com o elenco de Lost

No último domingo 16, parte do elenco e equipe de Lost se reencontrou para um painel no PaleyFest celebrando a série que completará 10 anos de estreia em setembro deste ano.
Estavam presentes os produtores Damon Lindelof e Carlton Cuse, e os atores Josh Holloway (Sawyer), Jorge Garcia (Hurley), Yunjin Kim (Sun), Ian Somerhalder (Boone), Maggie Grace (Shannon), Henry Ian Cusick (Desmond) e Malcolm David Kelly (Walter). Eles dividiram suas memórias, curiosidades, coisas que roubaram do set de filmagem e muito mais. O evento começou com a exibição do episódio Exodus: Part 1 e Lindelof ainda brincou dizendo que eles pensaram em mostrar o verdadeiro finale.
Lembranças do set
Vários atores admitiram, um pouco relutantes, pois haviam executivos da ABC presentes, que pegaram lembranças dos sets de filmagem. Lindelof fez graça “talvez a tampa da escotilha caiu de um caminhão e eu pensei ‘oh! Isso caiu do caminhão, talvez eu vá ficar com ela e transformá-la em uma mesa de café!’”. Cuse admitiu que está com o relógio de contagem regressiva da escotilha, mas brincou que apareceu em um pacote e que ele não pegou nada. Jorge Garcia tem alguns quadros que lembram aqueles que estavam na clínica psiquiátrica, enquanto Yunjin Kim, Maggie Grace e Josh Hollloway pegaram roupas.  Ian Somerhalder, cujo personagem Boone foi o primeiro do elenco fixo a morrer na série, disse que pegou “sua dignidade”.
Histórias não resolvidas e perguntas ainda sem respostas
O legado de Lost também conta com vários fãs nervosos que ficaram insatisfeitos quando o finale não resolveu todas as perguntas . Quando questionados por fãs sobre cenas específicas e por que não haviam resoluções para essas histórias, Cuse disse:
Toda pergunta gera uma pergunta e não havia um jeito de responder todas as perguntas sem ficar sendo muito didático e chato”
Lindelof ainda completou que algumas cenas foram escritas e ainda existem no papel (e talvez, um dia, elas possam ser leiloadas para a caridade), mas, no fim do dia, era a sala dos roteiristas que decidia o que era melhor deixar sem respostas.
Uma dessas cenas é a que revela a identidade de quem estava dentro do barco que atirou nos sobreviventes na quinta temporada.
Nós escrevemos essa cena”
Disse Lindelof.
Ela ia estar na última temporada e respondia perfeitamente quem estava no barco de uma maneira bem satisfatória. Nós olhamos para ela e dissemos ‘essa é uma resposta legal, mais seria mais legal não responder essa pergunta’”
TV paga versus TV aberta
Cuse e Lindelof foram para a TV paga depois do fim de Lost e, quando perguntados se temporadas menores teriam sido melhores para a série, Lindelof disse que ele é agradecido por Lost ter sido na TV aberta.
Fazê-la de qualquer jeito diferente do jeito que nós fizemos teria resultado em uma série diferente”
No entanto, ele admitiu que teria sido legal não limitar os palavrões de Sawyer apenas a “son of a bitch”, porque às vezes “holy fuck” seria uma resposta mais apropriada.
Mortes de personagens e discrição no set
Lost ficou famosa também por ser sigilosa e os atores raramente sabiam com muita antecedência qualquer coisa relacionada a seus personagens.
Eles só sabiam o que os personagens sabiam”
Cuse disse, o que trazia uma preocupação constante no set, pois ninguém sabia se seria “morto”.
A morte de Boone veio para mostrar que nenhum personagem estava salvo. Daniel Dae Kim (Jin) até chegou a ligar para os roteiristas durante a terceira temporada para dizer que estava pensando em comprar uma casa e queria saber se era uma boa ideia. Ian Somerhalder disse que não guarda rancor por ter “sido morto” e agradeceu Lindelof dizendo “você me deu a morte, mas também me deu vida”.
Jack (Matthew Fox), originalmente deveria morrer no episódio piloto. Lindelof disse que era um plano estratégico escalar um ator mais famoso para a campanha de marketing e publicidade, mas que morreria para chocar os telespectadores. Depois de receber avisos do canal ABC e dos executivos do estúdio para não fazer isso, pois eles achavam que a audiência não ia confiar mais nos produtores , mudaram de ideia.
Nikki e Paulo
Esses eram dois personagens com os quais ninguém se importava, inclusive os roteiristas. Nikki (Kiele Sanchez) e Paulo (Rodrigo Santoro) foram introduzidos na terceira temporada como outros sobreviventes do voo 815. Cuse explicou que discutiram a elaboração de uma história que duraria uma ou até mais temporadas para a dupla. Quando a temporada estreou, seis episódios já haviam sido filmados e não só os telespectadores não estavam gostando dos personagens, mas “nós mesmos estávamos odiando os dois”, disse Lindelof. A decisão dos roteiristas, ele disse, era “será que fingimos que eles nunca existiram ou dedicamos um episódio inteiros para a morte deles?”. A última opção aconteceu e a os dois foram enterrados vivos depois de terem sido mordidos por uma aranha venenosa que causava paralisia.
Criando personagens para atores que eles gostaram
Yujin Kim e Jorge Garcia, na verdade, fizeram testes para Kate e Sawyer, respectivamente, pois Sun e Hurley não existiam.  Cuse e Lindelof criaram depois seus personagens baseados em seus testes.  Pedaços dos atores também foram colocados nos personagens. Lindelof lembrou como que a cadeira de rodas de Locke se tornou parte da trama: Terry O’Quinn costumava andar pela praia sozinho ouvindo seu iPod. J.J. Abrams viu isso e disse “esse cara tem um segredo”. Então coube a Lindelof descobrir que segredo seria esse.
Finale
Cuse confirmou mais uma vez que eles NÃO estavam mortos o tempo todo.
Lost era uma série sobre pessoas em uma ilha no meio do nada, mas, metaforicamente, elas estavam perdidas em suas próprias vidas e precisavam de propósito e redenção. O final tinha que ser espiritual, um que falasse sobre os destinos e jornadas desses personagens”

Fonte: Série Maníacos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário